14 de jan de 2014

Discografia Loreena Mckennitt download completa - Loreena Mckennitt full discography download

Desta vez vou postar a discografia completa desta grande musicista, multi-instrumentalista soprano Loreena McKnnitt.

Sua música segue influências de toda parte do mundo, mesclando harpa, acordeon, violino, percussão, derbake, violoncelo, guitarra, citarra e muitos outros.

Ninguém conseguiu definir a música de Loreena, pois ela é indefinível. Já foi chamada de New Age, de Celta, de Word... é todas e ao mesmo tempo, nenhuma

Suas músicas variam de melodias extramente lentas e relaxantes, a rápidas epopeias ritmadas, deliciosas de se ouvir.
Possui em sua discografia gravações simples e quase puramente acústicas, e verdadeiras miscelâneas, mesclando sons das mais variadas partes do mundo.

É a segunda vez que tento postar este conteúdo, a primeira vez foi barrada devido à uma queixa da DCMA, mas nunca infringi direitos autorais de ninguém. Pela lei do país que resido,não há infração pois não estou vendendo o produto, nem lucrando de alguma forma, não estou exibindo em vias públicas e tampouco fazendo algo diferente de exibição caseira... Apenas estou divulgando boa música e incentivando quem baixou, ouviu e gostou a comprar o disco original.

Bem, vamos lá

LINKS DIRETOS SEM PROTETOR logo acima da cada tracklist

_____________________________________________________________________________
Elemental (1985)
MEGA


1 Blacksmith
2 She Moved Through the Fair
3 The Stolen Child
4 The Lark in the Clear Air
5 Carrickfergus
6 Kellswater
7 Banks of Claudy
8 Come by the Hills
9 Lullaby
_____________________________________________________________________________
To Drive The Cold Winter Away (1987)
MEGA

1 In Praise of Christmas
2 The Seasons
3 The King
4 Banquet Hall
5 Snow
6 Balulalow
7 Let Us the Infant Greet
8 The Wexford Carol
9 The Stockford Carol
10 Let All That Are to Mirth Inclined
_____________________________________________________________________________
Parallel Dreams (1989)
MEGA

1 Samain Night
2 Moon Cradle
3 Huron 'Beltane' Fire Dance
4 Lord Saltoun and Auchanachie
5 Standing Stones
6 Dickens' Dublin (The Palace)
7 Breaking the Silence
8 Ancient Pines



_____________________________________________________________________________
The Visit (1991)
MEGA

1 All Souls Night
2 Bonny Portmore
3 Between the Shadows
4The Lady of Shalott
5 Greensleeves
6 Tango to Evora
7 Courtyard Lullaby
8 The Old Ways
9 Cymbeline


_____________________________________________________________________________
The Mask and Mirror (1994)
MEGA

1 The Mystic's Dream
2 The Bonny Swans
3 The Dark Night of the Soul
4 Marrakesh Night Market
5 Full Circle
6 Santiago
7 Cé Hé Mise le Ulaingt?/The Two Tree
8 Prospero's Speech



_____________________________________________________________________________
A Winter Garden: Five Songs for the Season (1995)
MEGA

1 Coventry Carol
2 God rest ye merry gentlemen
3 Good King Wenceslas
4 Snow
5 Seeds of Love

_____________________________________________________________________________
Live in San Francisco at the Palace of Fine Arts (1995)
MEGA

1 The Mystic's Dream
2 Santiago
3 She Moved Through the Fair
4 Between the Shadows
5 Stolen Child
6 The Dark Night of the Soul
7 Marrakesh Night Market
8 The Lady of Shalott
9 The Bonny Swans
10 Prospero's Speech
_____________________________________________________________________________
The Book Of Secrets (1997)
MEGA

1 Prologue
2 The Mummers' Dance
3 Skellig
4 Marco Polo
5 The Highwayman
6 La Serenissima
7 Night Ride Across the Caucasus
8 Dante's Prayer
_____________________________________________________________________________
Live in Paris and Toronto (1999)

Disco1
1 Prologue
2 The Mummers' Dance
3 Skellig
4 Marco Polo
5 The Highwayman
6 La Serenissima
7 Night Ride Across the Caucasus
8 Dante's Prayer

Disco2
1 The mystic's dream
2 Santiago
3 Bonny Portmore
4 Between the shadows
5 The lady of Shalott
6 The bonny swans
7 The old ways
8 All souls night
9 Cymbeline
_____________________________________________________________________________
An Ancient Muse (2006)
MEGA

1 Incantation
2 The Gates If Istanbul
3 Caravanserai
4 The English Ladye and the Knight
5 Kecharitomene
6 Penelope's Song
7 Sacred Shabbat
8 Beneath A Phrygian Sky
9 Never-ending Road
_____________________________________________________________________________
Nights from the Alhambra (2007)

Disco1
1. The Mystic’s Dream
2. She Moved Through The Fair
3. Stolen Child
4. The Mummer’s Dance
5. Penelope’s Song
6. Marco Polo
7. The Bonny Swans
8. Dante’s Prayer
9. Caravanserai

Disco2
1. Bonny Portmore
2. Santiago
3. Raglan Road
4. All Souls Night
5. The Lady Of Shalott
6. The Old Ways
7. Never-ending Road
8. Huron `Beltane' Fire Dance
9. Cymbeline
_____________________________________________________________________________
A Midwinter Night's Dream (2008)
MEGA

1 The Holly and the Ivy
2 Bring a Torch, Jeanette, Isabella
3 Star of the County Down
4 Noël Nouvelet
5 Good King Wenceslas
6 Coventry Carol
7 God Rest Ye Merry, Gentlemen (Abdelli version)
8 Snow
9 Breton Carol
10 Seeds of Love
11 Gloucestershire Wassail
12 Emmanuel
13 In the Bleak Midwinter
_____________________________________________________________________________
A Mediterranean Odyssey (2009)


Disc 1: The Olive and The Cedar
1 The Mystic's Dream
2 Tango To Évora
3 The Gates of Istanbul
4 Penelope's Song
5 Marco Polo
6 Marrakesh Night Market
7 Santiago
8 Caravanserai
9 Dark Night of the Soul
10 Sacred Shabbat
11 The Mummers Dance



Disc 2: From Istanbul to Athens
1 The Gates of Istanbul
2 The Dark Night of the Soul
3 Marco Polo
4 Penelope's Song
5 Sacred Shabbat
6 Caravanserai
7 Santiago
8 Beneath a Phyrgian Sky
9 Tango to Evora
10 Full Circle
_____________________________________________________________________________
A Mummer's Dance Through Ireland (2009)
MEGA

1  Bonny Portmore
2  Stolen Child
3  Huron ‘Beltane’ Fire Dance
4  She Moved Through the Fair
5  Dickens’ Dublin
6  The Mummers’ Dance
7  Come by the Hills
8  Lark in the Clear Air
9  The Old Ways
10 Never-Ending Road
_____________________________________________________________________________
The Wind That Shakes The Barley  (2010)
MEGA

1 As I Roved Out
2 On a Bright May Morning
3 Brian Boru's March
4 Down By The Sally Gardens
5 The Star of The County Down
6 The Wind That Shakes The Barley
7 The Death of Queen Jane
8 The Emigration Tunes
9 The Partin Glas
_____________________________________________________________________________
Troubadours On The Rhine (2012)
MEGA

1 Bonny Portmore
2 Down By the Sally Gardens
3 The Wind That Shakes the Barley
4 Between the Shadows
5 The Lady of Shalott
6 The Stolen Child
7 Penelope's Song
8 The Bonny Swans
9 The Partin Glas
_____________________________________________________________________________
The Journey So Far (2013 - 2014)
MEGA

1 The Mystic's Dream
2 Bonny Portmore
3 The Bonny Swans
4 The Mummers' Dance
5 Down By The Sally Gardens
6 Stolen Child
7 The Lady Of Shalott
8 Marco Polo
9 Penelope's Song
10 Huron 'Beltane' Fire Dance
11 The Old Ways
12 Dante's Prayer





_____________________________________________________________________________


Farei um breve review, com minha opinião pessoal de cada álbum, destacando algumas faixas.

Elemental (1985)
O álbum abre com "Blacksmith", uma faixa de melodia suave, alegre e com vocais não muito agudos. A letra é bem triste, sobre o amor de uma dama e um ferreiro que promete seu amor a ela, mas casa com outra. Nunca a ouvi ao vivo, mas acho ser a melhor faixa do álbum. Seguimos com "She Moved Through the Fair", uma canção tradicional, lenta e muito tocada ao vivo. A faixa 3,  "Stolen Child" possui uma belíssima introdução de harpa, vocais divinos e também é amplamente tocada ao vivo. "The Lark in the Clear Air" é uma faixa bem curta, pouco mais de 2 minutos, instrumental, lenta e sem grandes atrativos, mas sem deixar de ser bela. "Carrickfergus" é uma música que foi gravada por dezenas de pessoas, Loreena não a canta sozinha no disco, pelo contrário, ela é a backing vocal da vez. "Kellswater" possui uma introdução de gaitas, é bem acústica, relaxante e calma. "Banks of Claudy" é quase acapella, uma música baixa, quase sussurrante, porém Loreena faz alguns agudos mais elevados belíssimos, parece pertencer a uma trilha sonora de filme antigo. "Come by the Hills" começa com harpa, violão e um vocal relaxante. Quem possui um inglês um pouco mais avançado, se fechar os olhos é capaz de visualizar belas colinas e uma belíssima paisagem que Loreena descreve. O álbum encerra com "Lullaby", que possui citações da obra de William Blake, é um belo desfecho para o disco. Temos uma introdução belíssima, com harpa e Loreena cantarolando em um tom extremamente suave, que permanece em coro durante as citações, além de sons de tempestade durante toda a faixa.
Sem dúvida ELEMENTAL é um álbum belíssimo, mas ainda assim é o marco inicial, não temos muito a multi instrumentalização, nem  muita exploração de vocais, apenas um acústico tradicional de canções célticas.

To Drive The Cold Winter Away (1987)
Como o próprio nome do disco sugere, são músicas natalinas "para espantar o frio para longe". É o primeiro álbum natalino de Loreena, e em minha opinião o menos agradável de se ouvir, por ser extremamente lento... ao passo que Elemental ainda possui algumas faixas mais rápidas, To Drive é todo lento, calmo e isso faz dele aconchegante... Abrimos com  "In Praise of Christmas", onde Loreena faz agudos realmente altos, é na letra desta faixa que se faz valer o nome do disco. Em "The Seasons", a introdução se dá com harpa e notas altíssimas, e segue assim por toda a música, às vezes ouvimos gaita. A letra fala sobre as estações e a beleza de cada uma. Em "The King", temos mais uma vez vocais masculino. Esta faixa é quase acapella, ouvimos gaita muito baixinho na introdução e entre as estrofes. Parece música de igreja. "Banquet Hall" vem como um alívio para os ouvidos, depois de tantos agudos e graves, nada melhor que uma faixa totalmente instrumental usando de harpa seguida de percussão, violão e sinos, sem parecer extremamente natalino como a maioria das músicas com esse tipo de sino. Inclusive a sonoridade parece muito com o snuj, um instrumento árabe geralmente usado para dançar belly dance. É minha música preferida do disco. Em seguida temos a primeira gravação de "Snow", e como não poderia deixar de ser, é uma música tradicional lenta e com os vocais muito bem explorados. "Balulalow" parece que foi gravada em um grande salão, pois os vocais ecoam como se fosse um salão de igreja bem amplo. Esta faixa sim, é totalmente acapella. Um coro aparentemente sacro acompanha Loreena, dando a essa faixa uma aparência católica de canções medievais. "Let Us the Infant Greet" segue a tendência de todo o álbum: instrumental lento, coralizado, vocais agudíssimos e aparência de música de igreja, assim como "The Wexford Carol". O disco segue com "The Stockford Carol", mais um belo instrumental que conta quase que puramente com harpa. Seria digna usa-la para alguma trilha sonora de filmes celtas, com belas sacerdotisas e suas vestes esvoaçantes. Contrastando com a faixa anterior, "Let All That Are to Mirth Inclined" se inicia com sinos tocando, como se chamasse para uma missa católica. Se os vocais de Loreena estavam agudos durante todo o disco, nesta faixa ela se supera. Com quase 7 minutos, é a faixa mais longa do disco, a mais católica, a mais aguda e a mais lenta.
Em suma, este disco é um álbum natalino, aconchegante, agudo e lento, mas sem deixar de ser um dos mais belos e o que explora mais os vocais de Loreena.

Parallel Dreams (1989)
Mais um disco quase que puramente acústico, tradicional e lento. Desta vez o conceito são os sonhos paralelos, viagens europeias de planícies e tempos de paz. "Samain Night" abre o disco com harpa, flauta e vocais suaves e doces, como se te convidasse a deitar e dormir, para em paz sonhar. Seguimos com "Moon Cradle", uma faixa acústica e aguda. Ouvi-la é como sentir o céu sem estrelas com a lua gigante e brilhante. Tem uma instrumentação bem pobre, mas essa suavidade é que a faz bela. Após a calmaria, chegou a hora de ouvir os tambores de "Huron 'Beltane' Fire Dance". Vocais mais graves, mais etéreos e mais místicos, exceto quando é tocada ao vivo. A faixa é assim até mais ou menos a metade, para depois seguir com um aumento dos tambores e a introdução de mais instrumentos, sem vocais. A faixa fica mais agitada e mais européia, parecendo uma trilha de um banquete em um salão real. É uma das faixas mais agitadas do disco e uma de minhas preferidas. Depois da animação, é hora de voltar a relaxar com "Lord Saltoun and Auchanachie" um acústico de mais de 8 minutos, quase que puramente feito apenas de harpa e vocal, o que não é muito positivo, pois você sente cada um dos 8 minutos. Hora do romance, e "Standing Stones" é a que o traz para nós. Iniciando com uma flauta belíssima remontando às terras distantes de Orkney, a faixa é uma baladinha fantástica, contando a história de um casal que jura amor dentro de um círculo de pedras, mas o destino lhes prega uma peça. O refrão é curto e delicioso. É de longe minha música preferida do disco, e pra minha infelicidade jamais a ouvi ao vivo. É o tipo de música que tem 7 minutos, mas é tão gostosa de ouvir que você não os sente passando. "Dickens' Dublin (The Palace)" se inicia com uma cavalgada e uma criança recitando, depois entram os vocais, a harpa e Loreena entra no papel de trovadora, em uma das faixas onde seu vocal está menos lírico e mais suave. A criança volta várias vezes durante a faixa, intercalando com vocais de Loreena, e é ela que fecha a música, Particularmente, acho um recurso muito ruim... não gosto de crianças recitando em músicas de adultos. A bela introdução em flauta de "Breaking the Silence" é como um convite a ir para as planícies europeias. Não é uma faixa muito lembrada, temos um violão durante ela em alguns pontos, mas nada que faça desta faixa algo memorável. A faixa final "Ancient Pines" é a mais curta do disco com um triste violoncelo, mas em suma, parece uma cantiga de dormir.

The Visit (1991)
Talvez este seja um dos discos mais famosos de Loreena, pois teve uma divulgação assombrosa.
Abrimos com a famosa "All Souls Night", que é baseada em um feriado japonês, se inicia com um sitar oriental e segue influências musicais celta. É uma das mais tocadas ao vivo, que possui um belo conjunto instrumental/vocal. A percussão e o acordeon desta faixa fazem dela algo muito mesclado, belo e único. É uma das minha músicas preferidas de Loreena e de longe a melhor do disco. "Bonny Portmore" volta a ter as tendências européias na instrumentalização e prossegue como uma faixa lenta e acústica. Destaque para os vocais agudos, onde vemos uma ENORME diferença em relação aos álbuns anteriores, pois agora eles estão mais bem controlados, não tão agressivos e muito mais relaxantes. Esta é outra faixa amplamente tocada ao vivo, e não vejo nada demais nesta faixa. "Between the Shadows" introduz uma harpa maravilhosa seguida de um instrumental fantástico, com violinos, percussão e outros instrumentos. Ao vivo é mais bonita, pois cada vez é tocada de uma forma. "The Lady of Shalott" é mais uma faixa amplamente tocada ao vivo, suave, bela e com uma história linda. É o tipo de faixa que você sente a duração, afinal são quase 12 minutos. "Greensleeves" segue o mesmo tom, lento, acústico e suave. "Tango to Evora" não é realmente um tango, mas é bem agitadinho, visto que é tocada com base em harpa e violino e apenas cantarolada, além de uma percussão quase imperceptível. Só a vi em UMA gravação ao vivo original, na compilação da Mediterran Odissey. É bem o tipo de música para viajar. "Courtyard Lullaby" é excelente quando se está com insônia, parece que foi tirada daqueles CDs para acalmar bebês. Já "The Old Ways" é muito mais agitada, como uma música irlandesa para se dançar. Os vocais estão bem suaves e agradáveis. Também é bem tocada ao vivo. "Cymbeline" encerra o disco de forma lenta, suave e  agradável. Outra faixa que se faz presente nos lives. Destaques para o sitar, que mais uma vez se faz magistralmente presente.
The Visit é um álbum muito experimental para a época em que foi lançado, pois mistura sons de diversas partes do mundo, mas isso não o impede ser extremamente belo. Não fica descontextualizado e alterna ente faixas agitadas e lentas, o que é um ponto super positivo, pois prefiro as agitadas. Vemos uma mudança significativa nos vocais e nos arranjos, uma evolução muito boa e cada vez mais agradável aos ouvidos.

The Mask and Mirror (1994)
Na minha opinião, um dos melhores discos de Loreena, onde todas as músicas são fantásticas. O disco abre com "The Mystic's Dream", começa com vocais quase gregorianos e um instrumental lento, para depois a música se inciar de verdade, com uma pegada árabe e mais agitada. Possui quase 8 minutos, mas não os sentimos de tão gostosa que é de se ouvir. Em seguida temos a história de duas irmãs contadas em "The Bonny Swans", introduzida aos poucos e de forma ascendente com uma guitarra deliciosa. A faixa conta como uma irmã joga a outra no lago por causa de um homem, e esta acaba por virar um cisne e depois uma harpa que toca sozinha, voltando assim ao salão do castelo de seu pai, o rei. É tão gostosa de ouvir em meio à guitarra, o violino, a percussão, a harpa..... de longe uma das melhores composições de Loreena, com mais de 7 minutos, muito tocada ao vivo também. Mas nem tudo são flores, "The Dark Night of the Soul" é lenta, acústica e possui a letra muito triste. Apesar disso, a instrumentalização é belíssima, e aí percebemos como as faixas acústicas de Loreena evoluíram. Depois de toda essa lerdeza e tristeza, somos transportados a uma noite no mercado no Marrocos com "Marrakesh Night Market", rápida, com um instrumental agitado, arabesco e vocais com notas incríveis. Essa sim dá vontade de ver odaliscas dançando, mexendo os quadris e comendo tâmaras. "Full Circle" começa lenta e baixa, mas depois Loreena nos presenteia com vocais agudíssimos, mas muito suaves. Se o disco "To drive the cold winter away" tivesse vocais como este, talvez eu gostasse mais dele. O disco segue com "Santiago", a música cantarolada mais tocada ao vivo de Loreena. É a mais animada do disco e talvez de todas as faixas da cantora. Aqui temos a prova de que uma música para ser boa não precisa ter letra (diferente de funk ou batidão, a emoção se passa através de um vocal muito bem executado, o que infelizmente não vemos nestes outros dois gêneros). Vê-la  e ouvi-la ao vivo é fantástico, pois a banda toda se alegra de uma forma tão linda que parece uma festa. É o tipo de faixa perfeita para quebrar o gelo com as mais duras plateias. "Cé Hé Mise le Ulaingt?/The Two Trees" é outra faixa que sentimos a duração, com mais de 9 minutos de piano, vocais suaves e uma letra linda. O disco fecha com "Prospero's Speech" e seu vocal angelical perfeito. É o tipo de arranjo que faltou em "To drive", pois os vocais estão mais limpos, mais potentes, mais sacros, mais belos, a instrumentalização está quase imperceptível e a música acaba e você não sente ela sumindo, deixando um vácuo no ar, com gosto de quero mais.
Este foi o primeiro disco que tive de Loreena, um dos que mais gosto até hoje e uma super e perceptível evolução nos arranjos instrumentais e vocais da artista. Além de finalmente termos um encarte mais trabalhado, com um papel texturizado, imitando uma belíssima tapeçaria.

A Winter Garden: Five Songs for the Season (1995)
Segundo disco natalino de Loreena, e em minha opinião o melhor, uma vez que é mais curto, mais agitado e sem músicas dispensáveis. Com uma duração total de quase 22 minutos, podemos ouvi-lo inteiro sem problema algum. A coloração das músicas tipicamente natalinas desta vez muda com os arranjos mesclando harpa de uma forma diferente, e desta vez, introduzindo mais elementos árabes.
O disco abre com "Coventry Carol", em um acústico delicioso de ouvir, vocais suaves e o instrumental com a harpa muito bem colocada. A faixa foi mixada com perfeição à "God rest ye merry gentlemen", que se inicia e mal percebemos, com o derbake e outras percussões dando uma nova cara à música. Sem contar outros instrumentos árabes, harpa e o vocal sopranista de Loreena. Se você não a conhece com outros intérpretes, não manja muito de inglês e ouve pela primeira vez neste arranjo, talvez jamais saiba que se trata de uma música natalina, diferente de "Good King Wenceslas", que possui um arranjo muito similar, mas a flauta e a melodia entregam, não tem como esta não ser natalina... Além disso é muito mais tocadas em filmes e séries. A segunda gravação de "Snow" humilha a primeira, pois o vocal está muito mais limpo, o instrumental muito melhor trabalhado dessa vez não sentimos o peso ou a duração do áudio. O disco fecha com "Seeds of Love", a música mais lenta do álbum, com o arranjo menos trabalhado e um belo desfecho para o disco.

Live in San Francisco at the Palace of Fine Arts (1995)
Este disco ao vivo saiu em dias versões, ambas promocionais, mas uma com 6 e outra com 10 faixas, sendo esta com 10 que eu possuo e postei. Como já fiz o review de cada faixa acima, seria inútil escrever sobre cada uma delas aqui. Destaque para o live de "Marrakesh Night Market", que vemos a deliciosa potência de Loreena, "Santiago" que é uma festa por si só e "The Bonny Swans" que ganhou um instrumental muito diferente do em estúdio.

The Book Of Secrets (1997)
Acredito que este é o disco mais famoso de Loreena, ainda mais que o The Visit. Musicalmente falando, é o mais árabe que Loreena possui, e até o encarte é cheio de arabescos. As letras tratam de diversos temas, a musicalidade está deliciosa, e como todo bom livro que se preze, abre com um "Prologue", mesclando instrumentos árabes, vocais suaves e cantarolados, remetendo a areias desérticas e beduínos montados em seus camelos. "The Mummers' Dance" é apresentada em sua primeira e mais lenta versão, muito mais árabe do que a divulgada em single e clipe. Quem tem um conhecimento básico em inglês até acha estranho a letra falar de guirlandas de flores e passeios na floresta com um instrumental desses. Mas como a fórmula deu muito certo em The Visit, desta vez eles exploram e muito esse aspecto. "Skellig" é mais um tradicional acústico lento, com harpa e flauta, mas desta vez com um instrumental mais bem trabalhado e muito bem colocado, além é claro da pegada árabe do disco. Ainda assim, a música mais árabe do disco, e talvez de toda a carreira de Loreena é "Marco Polo", um instrumental puro, com poucos vocais cantarolados, com muito derbake, percussão e algo q parece ser snuj, mas já vi ao vivo sendo um triângulo, e por sinal na companhia de um acordeon (é gente, isso não serve apenas para tocar forró). A próxima faixa é uma contradição épica, pois temos uma música agitada e deliciosa de ouvir, mas com a letra narrando a triste história de "The Highwayman". Com mais de 10 minutos, essa é o tipo de música que não sentimos passar, e quando acaba você pensa, "nossa, mas já?", e vê a duração... não tem como descrever. "La Serenissima" é outro instrumental  do disco, porém a faixa mais triste. Destaque enorme para a harpa, deliciosa de se ouvir. O disco avança com  "Night Ride Across the Caucasus", com muito derbake, vocais suaves e mais de 8 minutos e meio de duração, que passam sem você sentir. Loreena às vezes exagera nos vocais desta faixa, na minha opinião, se ela cantasse os agudos com um pouco menos de empolgação seria mais agradável de ouvir, o que ela corrige nos lives. O disco encerra com "Dante's Prayer", que tem uma introdução completamente descontextualizada do resto do álbum. Explora bem o piano e os vocais. É a mais lenta do disco e a menos árabe.

Caso não tenham notado, quase não falei dos lives deste disco, afinal, TODAS as faixas foram tocadas, gravadas e lançadas, inclusive na mesma ordem, no disco 1 da compilação:

Live in Paris and Toronto (1999)
Como dito, o disco 1 é todo o "The Book of Secrets" ao vivo e o disco2 possui lives dos outros cds. Destaques para "Santiago", "The bonny swans" e "All souls night"

Depois deste disco, Loreena entra em um hiato enorme de composições novas, retornando apenas em 2006, com:

An Ancient Muse (2006)
O álbum abre com "Incantation", e parece pertencer ainda o "Book of Secrets", pela pegada árabe, mas nada comparado a "The Gates If Istanbul". Juntas elas introduzem o ouvinte a esta nova fase da cantora, que parece estar retornando às origens celticas e irlandesas, sem deixar os instrumentos árabes. "The Gates" uma das faixas com super duração (7 minutos) que não sentimos passar. Não é muito rápida, pelo contrário, é bem lenta, mas não é massante. Ao vivo esta faixa pode ficar mais longa ou mais curta, sempre dependendo dos músicos que acompanham Loreena, ampliando ou reduzindo a introdução e partes instrumentais. O disco segue com "Caravanserai", que possui uma introdução bem grande e lenta, mas segue com um ritmo mais rápido, com vocais em notas bem longas e divinamente bem executados. É a minha preferida do disco, com lives mais enxutos e impecáveis. "The English Ladye and the Knight" conta a história de um romance água com açúcar, é muito lenta e uma das q sentimos cada um dos 6 minutos passando. Jamais a ouvi ao vivo, ainda bem..."Kecharitomene" é um instrumental seguindo tendências arabescas, muito bonito por sinal, mas nada extraordinário. "Penelope's Song" remete à Odisseia de Homero, é super lenta, extremamente romanceada e acho um desperdício de tempo quando executada ao vivo, pois Loreena tem faixas melhores. Em contra partida, "Sacred Shabbat" é outro instrumental arabesco, mas com harpa e que segue tendências espanholas e italianas. Possui apenas 4 minutos, o que é uma pena, pois parece que a música acaba rápido demais. "Beneath A Phrygian Sky" é uma faixa de quase 10 minutos, porém depende muito do humor do ouvinte para percebe-los ou não, pois é uma faixa bem neutra, diferente de "Never-ending Road", que é curta mais parece mais longa, pois é lenta e bem triste.


Nights from the Alhambra (2007)
É o melhor live de Loreena, reúne sucessos de todos os álbuns lançados até então e até as faixas mais lentas estão super agradáveis de se ouvir. Destaques para  "The Mummer’s Dance", "Marco Polo",  "The Bonny Swans", "Caravanserai", "Santiago", "All Souls Night" e "Huron `Beltane' Fire Dance"


A Midwinter Night's Dream (2008)
É mais um disco natalino, porém me parece longo demais. Evidentemente Loreena é brilhante em fazer arranjos para músicas natalinas perderem a cara de dezembro e ganhar novas cores, porém este disco não me faz tão bem quanto "Winter Garden", e veja que todas as 5 faixas do mesmo estão inclusas neste disco, com as mesmíssimas gravações, mudando apenas alguma equalização e no caso de "God Rest Ye Merry, Gentlemen", por conta de uma nova itrodução ganhou o sufixo "Abdelli version".

A Mediterranean Odyssey (2009)
Disco duplo com músicas selecionadas em estúdio e alguns lives que foram tocados de Istambul a Atenas.
O disco 1, "The Olive and The Cedar" traz quase todas as faixas na mesmíssima versão lançada anteriormente, salvo apenas "The Gates of Istanbul", que teve um corte drástico na sua introdução, deixando-a melhor de se ouvir.
Já o disco 2: "From Istanbul to Athens", traz os lives, onde dou destaque para "The Gates of Istanbul", "Sacred Shabbat", "Caravanserai", "Beneath a Phyrgian Sky" e "Tango to Evora", que até então não havia sido lançada ao vivo, e em minha opinião ficou bem melhor que a versão em estúdio.

A Mummer's Dance Through Ireland (2009)
É uma compilação que dá destaque à Irlanda, então reúne faixas que estão relacionadas ao país, ou que ele inspirou. Abre com a sem graça "Bonny Portmore", vai para a lenta a triste "Stolen Child", para finalmente dar um up em "Huron ‘Beltane’ Fire Dance". Depois voltamos à lerdeza com "She Moved Through the Fair", "Dickens’ Dublin" ganha uma nova equalização, "The Mummers’ Dance" é apresentada na versão do clipe e as demais faixas seguem apenas com alguma mudança ou outra na equalização.

The Wind That Shakes The Barley  (2010)
Até agora é o último disco de inéditas lançado por Loreena. O disco abre com a deliciosa e tradicional "As I Roved Out", com uma viola se fazendo presente, ritmada e bem animada. É de longe a música que mais gosto do disco."On a Bright May Morning" parece que foi tirada do "Elemental", pois é lenta, acústica e instrumentada bem simples, mas sendo lançada 25 anos depois, percebemos a evolução nos vocais e na instrumentalização. "Brian Boru's March" é um dos instrumentais tradicionais mais belos, com um dos melhores arranjos que Loreena já fez. É como uma marcha celta. "Down By The Sally Gardens" é outra faixa que poderia muito bem pertencer ao "Elemental" devido à sua musicalidade, bem diferente de "The Star of The County Down", que é alegre, sem vocais exagerados, embora agudos e é a mais curta do disco, com pouco mais de 3 minutos e meio. "The Wind That Shakes The Barley" significa algo como ''o vento que balança a cevada", e a faixa-título, apesar de lenta, acalma e nos dá uma sensação de brisa muito boa, bem diferente de "The Death of Queen Jane", que é lenta e tem cara de velório. "The Emigration Tunes" é um instrumental lento, gostoso de ouvir, mas sem maiores atrativos. "The Partin Glas" (sim, escrito errado) é outra faixa que poderia estar no "Elemental", pelos motivos que todos já sabem: lento, acústico e com vocais bem agudos.

Troubadours On The Rhine (2012)
Álbum ao vivo, onde Loreena toca apenas com mais 2 músicos, por isso que é chamado "A trio performance". Ou seja, são lives dos discos anteriores, porém sem muitos instrumentos, apenas toques simples e essenciais. Gostei muito de "The Bonny Swans",  além de mais simples, ficou mais curta.

The Journey So Far (2013 2014)
Escrever sobre este disco é chover no molhado, pois todas as faixas já foram comentadas, mas o destaque do disco não são as músicas em si, mas a disposição que elas estão, e a equalização que adquiriram. Pois descrevem uma jornada deliciosa... é como se elas fossem as responsáveis por nos transportar para atmosferas de paz totalmente transcendentais. Destaque para as novas e enxutas versões de "The Mystic's Dream" e "The Bonny Swans".


Lembrando: Este blog NÃO INCENTIVA PIRATARIA. Possuo TODOS os originais, tendo o único intuito o de popularizar culturas de difícil acesso. Os arquivos DEVEM ser excluídos em até 24 horas após baixados. Se você gostou do material, valorize-o e ajude o artista: compre o original. Se você baixou É de TOTAL responsabilidade SUA o que fazer com os arquivos. ____________________________________________________________________________
Remember: This blog NOT ENCOURAGES PIRACY. I have all the original material, with the sole aim of popularizing the culture of difficult access. The files MUST be deleted within 24 hours after download. If you liked the material, treasure it and help the artist: buy the original. PIRACY IS A CRIME If you downloaded is the sole YOUR responsibility what to do with the files. ___________________________________________________________________________
Recuerde: en este blog NO ANIMA LA PIRATERÍA. Cuenta con todos los originales, con el único objetivo de popularizar la cultura de difícil acceso. Los archivos deben ser eliminados dentro de 24 horas después de la descarga. Si te ha gustado el material, ayudar al artista: comprar el original. Si ha descargado es de la exclusiva responsabilidad SU qué hacer con los archivos.

37 comentários:

  1. Anônimo14/1/14

    Finalmente um site com todos os discos até 2013, e o melhor: com os links FUNCIONANDO e sem termos que driblar protetores de link ou ads's

    Parabéns, adorei a postagem!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo23/4/14

    Obrigado amigo... lembro bem ouvir os primeiros albuns dela quando ainda era adolescente - adorei recordar certas musicas, bem como ouvir pela primeira vez os albuns mais recentes.

    Parabens pelo Blog, continue postando! :)

    ResponderExcluir
  3. Oláa, obrigada por postar,Loreena Mckennitt é dmais, difícil achar músicas delas pra download, e esse site Mega é mto organizado. Valewzao, abs

    ResponderExcluir
  4. Vivian21/7/14

    Olá. Seu blog é maravilhoso e muito organizado. Parabéns.Continue difundido cultura aos que como eu não teriam acesso de outra maneira. Amo as músicas da Loreena McKennit.
    Muitíssimo obrigada!!!

    ResponderExcluir
  5. Anônimo6/10/14

    Beto do Sul
    Parabéns, amigo!
    Divulgar tão boa cultura, neste país, deveria ser digno de homenagem maravilhosa!
    Por enquanto, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  6. Você é realmente o o corvo celta. parabéns pelo site

    ResponderExcluir
  7. Anônimo29/10/14

    Excelente blog, Pela primeira vez encontrei o cds e os links estão funcionando e o que melhor em site de download rápido.
    Continue assim.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  8. Anônimo3/12/14

    Ameeei!!! Sou fã da Loreena e o show dela foi maravilhoso! Até que enfim todos os álbuns com os links funcionando!! Obrigadaaa :)

    ResponderExcluir
  9. Anônimo23/12/14

    Muito, muito obrigado por este Blog incrível da Loreena, Ela é tudo de bom e mais um pouco. Parabéns !!! .

    ResponderExcluir
  10. Anônimo22/1/15

    Não sei nem o que dizer. Mais do que muito obrigado! A loreena é indescritível. Nós simplesmente amamos a música dela. Super valeu!

    ResponderExcluir
  11. Anônimo9/3/15

    Ótima coleção! Muito obrigado por disponibilizá-la!

    ResponderExcluir
  12. lindo blog!! amei! obrigada por compartilhar!!

    ResponderExcluir
  13. Verdadeiramente é uma artista inexplicável!
    Parabéns pelo belíssimo trabalho de divulgar boa música.

    ResponderExcluir
  14. Obrigada por me fazer conhecer essa maravilhosa artista! <3

    ResponderExcluir
  15. Anônimo8/7/15

    Nossa! Excelente esse site. Parabéns!! Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  16. Anônimo3/9/15

    Gostaria de parabenizar o idealizador do blog ! Muitíssimo obrigado pela disposição em fornecer a discografia e comentá-la !

    ResponderExcluir
  17. Anônimo14/9/15

    muito bom! agradecida!

    ResponderExcluir
  18. Anônimo14/10/15

    Muitissimo obrigado!

    ResponderExcluir
  19. Muito bom o conteúdo de seu blog!!

    ResponderExcluir
  20. Maravilhoso!! Muito obrigada! =D

    ResponderExcluir
  21. Maravilhoso!! Muito obrigada! =D

    ResponderExcluir
  22. NAMASTÊ, MUITO OBRIGADA PELOS POST, QUE SEU CORAÇÃO SEJA AGRACIADO COM TODAS AS BENÇÃOS DESTE UNIVERSO. FIZESTE UM BEM MARAVILHOSO. MUITAS VEZES QUE MORA EM LUGARES ERMOS COMO EU NÃO TEM ACESSO AO QUE HÁ DE MELHOR NA CULTURA AVALON.... DIOLCH YN FAWR!!!!!!

    ResponderExcluir
  23. O conteúdo do seu blog é valiosíssimo. Muito bom mesmo, estou encantada! Meus parabéns! Muita Paz e Luz para você.

    ResponderExcluir
  24. Muito, muito, muito obrigada!!! Pela disposiçao de disponibilizar um material tao valioso!!!

    ResponderExcluir
  25. Muito obrigado por postar as discografias!

    ResponderExcluir
  26. Como assim vc falou que Bonny Portmore é fraca??? Essa musica é um clássico!

    ResponderExcluir
  27. Alves3/5/16

    Muito bom este site !! Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  28. Anônimo23/5/16

    Gratidão por compartilhar um material tão rico.

    ResponderExcluir
  29. Anônimo15/7/16

    Você pode fazer backup de discos. As links caíram. Muito obrigado. Muito bom material!!

    ResponderExcluir
  30. Cadê os links para baixar?me ajuda aí,Por favor,não estão entrando está falando que não existe os links

    ResponderExcluir
  31. Cadê os links para baixar?me ajuda aí,Por favor,não estão entrando está falando que não existe os links

    ResponderExcluir
  32. Nobre ser, está aparecendo a seguinte mensagem:
    O arquivo que você está tentando baixar não está mais disponível.
    O usuário desta conta foi removido por mais de uma violação aos Termos de Serviço.
    Tem outra forma de conseguirmos os arquivos com você?

    ResponderExcluir
  33. os links quebraram. pode arrumar pfv?

    ResponderExcluir
  34. Anônimo19/6/17

    Os Links estão quebrados.

    ResponderExcluir
  35. Anônimo19/6/17

    Por favor, arrume os links, pois não estão baixando.

    ResponderExcluir
  36. Anônimo20/6/17

    O melhor site que vi na internet. Obrigado. Gostara que você consertasse os links para baixarmos.

    ResponderExcluir
  37. Não consigo acessar os link :( ouço loreena desde pequeno!Não sei como comeceu a escutar!

    ResponderExcluir

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...